26 de out de 2011

Evolução das baleias a partir de mamíferos terrestres! Como se construiu esta teoria?

Durante muito tempo as baleias e golfinhos foram considerados um grupo de peixe, devido à forma do corpo pisciforme (forma de peixe). Mas conforme o conhecimento sobre estes animais aumentou ficou claro que eles deviam ser enquadrados em outro grupo, os mamíferos, pois eram homeotérmicos, possuía respiração aérea pulmonar, coração tetracavitário e amamentavam seus filhotes. Mas as baleias são em muitos aspectos, distintos da maioria dos mamíferos. Possuem habitat aquático, possui locomoção adaptada a água, cavidade nasal e narinas localizadas na frente do crânio. Qual seria o grupo de mamíferos ancestral das baleias.

Comparações moleculares de proteínas dos cetáceos (baleias e golfinhos) com outras ordens de mamíferos mostraram que entre as atuais ordens de mamíferos a com maior similaridade molecular seria a ordem artiodáctila, um grupo representado pelas vacas, porcos, rinoceronte e hipopótamos.
 
Figura: Exemplos de Artiodáctilos

Comparações de trechos específicos do DNA mostraram que entre os mamíferos viventes o que apresenta maiores semelhanças com o DNA cetáceo é o hipopótamo.
 
Figura: Hipopótamo.

Estes resultados foram interpretados de diferentes maneiras, alguns estudiosos teorizaram que a ordem cetácea evolui da ordem artiodáctila (teoria artiodáctila) e outros especialistas acreditam que a ordem cetácea tenha evoluído de outra ordem próxima evolutivamente dos artiodáctilos.

A compreensão deste processo começou a ser esclarecidas a partir de estudos de fósseis realizados no Ásia (Paquistão) em 1978. Na ocasião foram descobertas rochas datadas em cerca de 50 milhões de anos com um crânio fóssil que após análise mostrou-se ser de um mamífero terrestre, carnívoro, que vivia as margens de rios. Este animal foi chamado de Paquicetos. A análise detalhada do crânio do Paquicetos visando relacioná-lo evolutivamente com outros grupos de mamíferos atuais mostraram uma semelhança instigante de alguns ossos da região do ouvido com os ossos do ouvido de baleias e golfinhos. Esta semelhança foi interpretada com uma forte evidência científica da evolução dos cetáceos (baleias e golfinhos) a partir de mamíferos terrestres. Baseado em estudos paleontológicos sabe-se que o Paquicetos viveu em uma época conturbada na região. Correspondeu a um período de aquecimento da Terra, com derretimento das calotas polares e aumento do nível do mar o que diminui a área terrestre e aumentou a marinha no planeta. Nestas condições muitas espécies terrestres devem ter se extinguido e outras se adaptado a nova condição. Especula-se que talvez, o Paquicetos tenha nesta época começado a explorar o meio aquático de forma esporádica, à procura de alimento, se locomovendo através de um nado desajeitado tipo “cachorrinho”.
 

Figuras: Reconstituição do Paquicetos.

Em 1983 foi descoberto fósseis no Egito, em sedimentos marinhos datados em cerca de 35 milhões de anos. Estes fósseis eram semelhantes a baleias, medindo cerca de 18 metros de comprimento, possuíam dentes e uma característcas peculiar, patas atrofiadas e relação ao tamanho do animal. Esta foi à primeira evidência incontestável que baleias primitivas possuíam quatro patas. Estes fósseis foram denominados como Basilossauro. A análise funcional das batas do Basilossauro mostrou que dificilmente elas seriam capazes de auxiliar na locomoção terrestre, mas sim deviam auxiliar no direcionamento da natação.           

 

Figuras: Reconstituição do Basilossauros.

Em 1992 a descoberta no Paquistão de um fóssil em sedimentos marinhos de 48 milhões de anos colaborou para a teoria da evolução das baleias a partir de mamíferos terrestres. Foi descoberto um fóssil completo de um animal semelhante a baleias, mas com grandes patas e articulações móveis que sugeriram capacidade de sustentar a locomoção terrestre. Este animal foi chamado de Ambulocetos natans (baleia que anda e nada). Ele deveria passar a maior parte do tempo na água, mas talvez algumas atividades como a copulação fosse feita em meio terrestre.

 

Figuras: Reconstituição do Ambulocetos natans

Depois de 1992 várias outras descobertas fósseis foram feitas colaborando com a teoria da origem terrestre das baleias. Inclusive uma bastante interessante. Um fóssil denominado  Rodocetos, coletado no Paquistão em sedimentos marinhos, apresentava os quatro membros membro bem conservados. A análise das patas mostrou semelhanças significativas da articulação dos tornozelos do Rodocetos com a articulação do tornozelo dos Artiodáctilos, como o hipopótamo, contribuindo para a teoria da origem artiodáctila da baleias. 

Figura: árvore filogenética das baleias. 



11 comentários:

  1. gostaria de saber se vc tem algum documentario falando do ancestral do boi almiscarado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente não possuo, é um coisa muito específica. Um abraço!

      Excluir
  2. querer que um blogueiro tenha alguma coisa ja e demais. Blogueiro so copia de alguem que publica.
    Quer algo serio, va ha uma universidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isto aí! Quer algo sério procure-me na UNIVERSIDADE: Universidade Federal da Bahia de Vitória da Conquista. Prof Marco Antonio Nunes.

      Excluir
    2. Hahahahaha ♥︎

      Amei a resposta. Aliás, excelente texto.

      Excluir
  3. Wild Evolutions: The Walking Whale da Nat Geo ;)

    ResponderExcluir
  4. blogeiros... só copia e cola na universidade vc vê mais coisas

    ResponderExcluir
  5. Não sei por que continuo postando para quem nem nome sabe assinar o nome nos comentários. (FAQBIO)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meus parabéns professor, seu post me ajudou muito. :3

      Excluir
  6. Seu texto é bem didático. Me ajudou muito!!Obg.

    ResponderExcluir