2 de out de 2011

Super zoom em escorpiões


Legenda:


Ct = cefalotórax
Pré-ab = pré-abdômen
Pós-ab = Pós-abdômen
Pe = pedipalpos
Q = quelíceras
Pa = patas
Ag = aguilhão (órgão inoculador de veneno) 
O = olhos

Os escorpiões são artrópodes da classe dos aracnídeos. Possuem o corpo dividido em um curto cefalotórax (Ct), e um abdômen. O abdômen é subdividido em pré-abdômen (pré-ab) largo e um pós-abdômen (pós-ab) longo e estreito que termina em um aguilhão (Ag) venenoso. 
O cefalotórax apresenta um par de olhos grandes (O) medianos e vários outros pares de olhos menores. O cefalotórax possui uma série de apêndices articulados, como os pedipalpos (Pe), as quelíceras (Q) e as patas (Pa). Os pedipalpos são grandes apêndices em forma de pinças que servem a captura do alimento, em geral insetos e aranhas. Após a captura o alimento é conduzido em direção as quelíceras, localizadas ao redor da boca, para ser triturado. Os pedipalpos servem também como órgão copulador, transferindo para a abertura genital feminina um saco de espermatozóides, o espermatóforo. A locomoção é feita por quatro pares de patas articuladas ao cefalotórax.
Os escorpiões são predadores noturnos que localizam suas presas detectando as vibrações que elas produzem ao se locomover.  Pequenas cerdas presentes nas patas e uma estrutura em forma de dois pentes, localizada ventralmente no pré-abdômen, o pécten, detectam as vibrações do solo.

Fig. Vista do pécten, órgão táctil que explora vibrações do solo. O pécten é diferente em machos e fêmeas servindo ao reconhecimento sexual (dimorfismo sexual).

Para facilitar a captura do alimento, injetam veneno com o aguilhão localizado no final do flexível pós-abdômen. O veneno dos escorpiões é uma importante adaptação a captura de alimento, mas de forma geral é pouco perigoso aos grandes animais. Exceção para algumas poucas espécies que são consideradas fatais, sendo nestes casos, necessários a administração de um soro específico para neutralizar a veneno. 

No Brasil há duas espécies de escorpiões consideradas perigosas, ambas pertencentes ao gênero Tytus, o Tytus serrulatus e o Tytus bahiensis.

Fig.Tityus serrulatus (escorpião amarelo): possui cor amarelo claro, com manchas escuras sobre o tronco e na parte inferior do fim da cauda, podendo chegar a 7cm. O quarto anel da cauda possui dentinhos formando uma serra. É encontrado nos Estados da Bahia, Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro e São Paulo.


Fig.Tityus bahiensis (Escorpião Marrom): possui cor marrom avermelhado escuro, braços e pernas mais claros, com manchas escuras, pode ter até 7cm. Não possui serrinha na cauda. É encontrado nos Estados de Goiás, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

Referencias:


Fonte 1 
Apoio ao Estudo de Biologia

Nenhum comentário:

Postar um comentário